Autor: Presbíteros

Homilia do D. Anselmo Chagas de Paiva – III Semana do Tempo Comum – Ano B

Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo   Mc 1,14-20 Caros irmãos e irmãs No Evangelho deste domingo aparece em cena Jesus que percorre os povoados e montanhas da Galileia, anunciando o Evangelho. O texto nos mostra a primeira frase que ele pronuncia, como alerta da sua pregação: “O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!” (v. 15). O Evangelista São Marcos frisa que Jesus começou a pregar “depois que João Batista foi preso” (v.14). Precisamente no momento em que a voz profética de João, que anunciava a vinda do Reino de Deus, é abafada por Herodes, que o mandou degolar no cárcere (cf. Mc 6,14-29), Jesus começa a percorrer os caminhos da sua terra para levar a todos “o Evangelho de Deus” (v. 14). O texto evangélico nos apresenta dois pedidos “Convertei-vos” (v. 14), no sentido de mudar o modo de pensar, deixando a má conduta moral e “Crede no evangelho” (v.14), ou seja, na Boa Nova que Cristo veio ensinar. O tempo assinalado para o estabelecimento do reino havia chegado e todos eram exortados a se preparar para nele entrar, mediante o arrependimento e a aceitação da boa nova anunciada por Cristo. A inserção no Reino de Deus exige a conversão.  O apelo de Jesus à conversão soava como uma exigência de abrir mão da...

Read More

Roteiro Homilético – III Domingo do Tempo Comum – Ano B

RITOS INICIAIS Salmo 95, 1.6 ANTÍFONA DE ENTRADA: Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, terra inteira. Glória e poder na sua presença, esplendor e majestade no seu templo. Introdução ao espírito da Celebração Neste Domingo em que celebramos também a «Conversão de São Paulo» a proposta de Deus passa pelo convite à conversão. Ser Profeta na tarefa de apelar à mudança de vida, de mentalidade, de nova e responsável relação com Deus e com os irmãos. Ser ouvinte deixando penetrar os apelos da Palavra em atitude de verdade e humildade. Ser responsável sulcando de nós um maior empenho em vivermos de acordo com o projecto de Jesus Cristo. Ser cristão de razão, acção e paixão ORAÇÃO COLECTA: Deus todo-poderoso e eterno, dirigi a nossa vida segundo a vossa vontade, para que mereçamos produzir abundantes frutos de boas obras, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. LITURGIA DA PALAVRA Primeira Leitura Monição: «Levanta-te, vai à grande cidade…». Pelo baptismo todo fomos constituídos em Cristo Profeta. A nossa vida tem de ser fidelidade à voz de Deus, e um erguer-se constante para realizar o que manda. «Senhor, faz-me sair do comodismo da insensibilidade e ser voz de apelo à conversão a um mundo que vive sem Ti».   Jonas 3, 1-5.10 1A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas...

Read More

Homilia do Mons. José Maria – III Domingo do Tempo Comum – Ano B

Conversão e Seguimento O início da atividade apostólica de Jesus, para S. Marcos, é um convite à conversão (Mc 1, 14-20).  Quando  Jesus começou a pregar, as primeiras palavras que disse foram estas : “Completou – se o tempo, e o Reino de Deus está próximo. Convertei – vos e crede na Boa Nova” ( Mc1,15). Acabou-se o tempo das promessas e da espera: O Messias chegou e está começando o seu ministério! A sua presença é a plenitude dos tempos, tornando-os veículos da misericórdia de Deus e da história da salvação. Para acolher Jesus, a condição primeira é a conversão, a mudança profunda de vida que exige, sobretudo, a luta contra o pecado e, consequentemente, a rejeição de tudo aquilo que o pode desviar do amor e da Lei de Deus. Uma conversão parecida à que Deus exigiu à cidade de Nínive, por meio da pregação de Jonas, e que os seus habitantes praticaram, abandonando “o seu mau caminho” (Jn 3, 10). Mas, a fuga do pecado é apenas a primeira fase da conversão anunciada por Jesus, que exige também um segundo momento que é destacado no Evangelho: “Acreditai na Boa-Nova”. O cristão tem que aderir positivamente ao Evangelho com uma fé vivificada pelo amor, que não se fica apenas na sua aceitação teórica, mais procura evidenciá-lo com a vida prática. É necessário e urgente, pois, deixar de...

Read More

Homilia do Padre Françoá Costa – III Domingo do Tempo Comum – Ano B

Qual é a minha vocação? “Vinde após mim; eu vos farei pescadores de homens” (Mc 1,17). Estamos ainda no mês de janeiro e, graças a bondade de Deus e a sabedoria da nossa Mãe Igreja, estamos meditando nesses primeiros domingos alguns temas importantíssimos na configuração da própria vida cristã. Hoje o Evangelho nos leva a fazer oração sobre a realidade da vocação. Deus chamou a cada um de nós – leigos, sacerdotes, religiosos – para sermos pescadores de homens. Sendo isso verdade, não nos esqueçamos de que antes de sermos pescadores nós fomos pescados pelo Senhor. E isso tem uma importância enorme: considerar-se pescado pelo Senhor é saber-se na mesma barca de Cristo governada visivelmente pelo sucessor de Pedro e que navega rumo à eternidade, à santidade, à felicidade. Todos e cada um de nós, ao considerarmo-nos pescados por Cristo, somos conscientes de que a Igreja vai adiante também com a nossa santidade pessoal. Sem dúvida, a Igreja é indefectível, isto é, chegará à escatologia, será fiel até o fim; mas nós, que também somos Igreja, precisamos ser fiéis de verdade, ou seja, santos. O primeiro chamado que Deus nos dirigiu foi a vocação à santidade, chamou-nos desta maneira: “vinde após mim”. Estas palavras significam discipulado, seguimento, imitação fiel, santidade! Na Igreja todos temos vocação: a universal, à santidade; outra, específica. Esta vocação específica nada mais é que a...

Read More

Homilia do D. Henrique Soares da Costa – III Domingo do Tempo Comum – Ano B

Jn 3,1-5.10 Sl 24 1Cor 7,29-31 Mc 1,14-20 Nestes inícios do Tempo Comum, a Liturgia apresenta-nos também os inícios do Evangelho segundo Marcos. Hoje Jesus aparece inaugurando seu ministério público. Suas palavras são consoladoras: “O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo!” Eis! A esperança de Israel até que enfim iria realizar-se: o Messias, o Salvador esperado estava chegando para instaurar o Reino! Com Jesus, com sua Pessoa, seus gestos e sua pregação, o Reinado de Deus, a proximidade do Santo de Israel, seria realmente tocada pelo povo de Deus. É isso o Reino de Deus: em Jesus, Deus fez-se próximo, Deus veio acolher, consolar, indicar o caminho, salvar! Em Jesus, o Filho amado, Deus veio revelar sua paternidade, debruçando-se sobre o aflito, o pobre, o pecador. Chegou o Reino: Deus veio consolar o seu povo! Mas, há algo surpreendente nesse alegre anúncio de Jesus: logo após afirmar que o Reino chegou, o Senhor intima o povo: “Convertei-vos e crede no Evangelho!” Por que Jesus dá esta ordem? Os israelitas não estavam esperando o Reino? Por que precisam se converter? Caríssimos: o Reino que Jesus veio trazer não é de encomenda, não é sob medida, como gostaríamos. O Senhor não vem nos trazer um Deus à nossa medida, à medida do mundo, um deus moderninho para consumo das nossas necessidades, interesses e expectativas. No mundo do fácil,...

Read More

Comentário Exegético – III Domingo do Tempo Comum – Ano B

EPÍSTOLA (1 Cor 7, 29-31) (Pe. Ignácio, dos padres escolápios) INTRODUÇÃO: Estamos num contexto moral em que Paulo responde a umas questões como é o matrimônio, especialmente se misto (7, 12-17). Respondendo uma carta, Paulo prefere a virgindade, mas declara que o matrimônio não é ilícito. E termina que o tempo de vida é tão efêmero que o melhor é usar das coisas como se não fossem eternas, mas caducas, esperando sempre pelo que será definitivo. A LIMITAÇÃO DAS COISAS: Pois isto vos digo, irmãos, a oportunidade limitada. O resto é para que também os que têm mulheres sejam como se não tivessem (29). Hoc itaque dico fratres tempus breve est reliquum est ut qui habent uxores tamquam non habentes sint. OPORTUNIDADE [kairos<2540>=tempus] entre os diversos significados de um período de tempo está o de tempo oportuno, o tempo certo, o tempo devido, como em Mt 24, 45: Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo? Como tempo favorável temos At 24:25:  E, tratando ele (Paulo) da justiça, e da temperança, e do juízo vindouro, Félix, espavorido, respondeu: Por agora vai-te, e em tendo oportunidade te chamarei. Aqui no versículo atual, o tempo de que fala Paulo é o tempo anterior à segunda vinda de Cristo. Esta esperança da vinda do Senhor Jesus,...

Read More

Preces – III Domingo do Tempo Comum – Ano B

Sacerdote: Irmãos e irmãs, reunidos em nome do Senhor e conduzidos por sua Palavra imploremos a sua misericórdia sobre nós e sobre todo o mundo: Todos: Senhor, tende piedade de nós! (ou Kyrie, eleison!) 1. “Jesus viu Simão e André, seu irmão” (Mc 1, 16). Olhai com bondade, Senhor, para o vosso servo, o nosso Papa Bento e fazei que sempre firme conduza a barca que é a vossa Igreja. Rezemos ao Senhor. 2. “Eu farei de vós pescadores de homens” (Mc 1, 17). Concedei a todos nós as virtudes de um bom pescador, para que na paciência e perseverança consigamos conquistar nossos irmãos para vós. Rezemos ao Senhor. 3. “Pois a figura desse mundo passa”(1Cor 7, 31). Lembrai-nos,como são fugazes as glórias e honras desse mundo, para que coloquemos todo nosso empenho em vos amar e servir. Rezemos ao Senhor. 4. “Aos pobres ele ensina o seu caminho” (Sl 24). Enviai o vosso Espírito Consolador, Pai dos pobres, a todos os que passam necessidades e tornai-nos sensíveis às suas necessidades. Rezemos ao Senhor. 5. “De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia” (Sl 24). Lembrai-vos dos nossos irmãos defuntos e admiti-os no convívio dos vossos santos porque sois bom. Rezemos ao Senhor. Sacerdote: Pai todo-poderoso, renovamos agora o mistério de nossa salvação, concedei por nosso Sumo Sacerdote Jesus Cristo que a vós se oferece, as graças que necessitamos para vos...

Read More

Roteiro Homilético – II Domingo do Tempo Comum – Ano B

RITOS INICIAIS Salmo 65, 4 ANTÍFONA DE ENTRADA: Toda a terra Vos adore, Senhor, e entoe hinos ao vosso nome, ó Altíssimo. Introdução ao espírito da Celebração Deus aproxima-se dos homens de todos os tempos por meio da sua Palavra e dos Sacramentos cristãos. Samuel, João, André e Pedro escutaram a voz do Senhor e acolheram docilmente as suas indicações. Escutemos também nos, com plena disponibilidade, o que Deus nos quiser comunicar na Eucaristia de este Domingo ORAÇÃO COLECTA: Deus eterno e omnipotente, que governais o céu e a terra, escutai misericordiosamente as súplicas do vosso povo e concedei a paz aos nossos dias. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. LITURGIA DA PALAVRA Primeira Leitura Monição: Samuel ouve a voz de Deus que o chama e, aconselhado pelo sacerdote Heli, inicia um diálogo com Deus que acompanhará toda a vida do profeta. Também o Senhor está connosco, como esteve com Samuel, quando fazemos oração habitualmente. 1 Samuel 3, 3b-10.19 Naqueles dias, 3bSamuel dormia no templo do Senhor, onde se encontrava a arca de Deus. 4O Senhor chamou Samuel e ele respondeu: «Aqui estou». 5E, correndo para junto de Heli, disse: «Aqui estou, porque me chamaste». Mas Heli respondeu: «Eu não te chamei; torna a deitar-te». E ele foi deitar-se. 6O Senhor voltou a chamar Samuel. Samuel levantou-se, foi ter com Heli e disse: «Aqui estou, porque me chamaste». Heli respondeu: «Não te chamei, meu filho; torna...

Read More