RITOS INICIAIS

 

Salmo 24(25) 16-18

ANTÍFONA DE ENTRADA: Olhai para mim, Senhor; tende compaixão, pois vivo só e desamparado. Vede a minha provação e as minhas penas: e perdoai-me todos os meus pecados.

 

Introdução ao espírito da Celebração

 

Jesus está vivo na Eucaristia. Quis ficar connosco, para ser nosso alimento e companheiro de viagem na caminhada para o Céu. Saibamos agradecer-Lhe e manifestar-Lhe o nosso amor e a nossa adoração.

 

Preparemo-nos com o nosso arrependimento cheio de amor.

 

ORAÇÃO COLECTA: Deus todo-poderoso e eterno, cuja providência não se engana em seus decretos, humildemente Vos suplicamos: afastai de nós todos os males e concedei-nos todos os bens. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

LITURGIA DA PALAVRA

 

Primeira Leitura

 

Monição: O rei Salomão pede pelos estrangeiros que venham rezar ao templo do Senhor, que tinha edificado em Jerusalém. Deus é só um e quer que todos os homens se salvem.

 

1 Reis 8, 41-43

Naqueles dias, Salomão fez no templo a seguinte oração: 41«Quando um estrangeiro, embora não pertença ao vosso povo, Israel, vier aqui dum país distante por causa do vosso nome pois ouvirão falar do vosso grande nome, da vossa mão poderosa e do vosso braço estendido, quando vier 42orar neste templo, 43escutai-o do alto do Céu, onde habitais, e atendei os seus pedidos, a fim de que todos os povos da terra conheçam o vosso nome e Vos temam como o vosso povo, Israel, e saibam que o vosso nome é invocado neste templo que eu edifiquei».

 

41-43 O texto é tirado da belíssima oração de Salomão, por ocasião da consagração do Templo. Aqui se deixa ver como Javé, o Deus único é universal, isto é, o Deus de toda a Humanidade (as divindades pagãs eram locais e nacionais); cfr. Is 56,6-7.

 

 

Salmo Responsorial    Sl 116 (117), 1.2 (R. Mc 16, 15)

 

Monição: O salmo anima-nos a levar a mensagem de Jesus a todos os povos da terra.

 

Refrão:        IDE POR TODO O MUNDO,  ANUNCIAI A BOA NOVA.

 

Louvai o Senhor, todas as nações,

aclamai-O, todos os povos.

 

É firme a sua misericórdia para connosco,

a fidelidade do Senhor permanece para sempre.

 

 

Segunda Leitura

 

Monição: S.Paulo lembra que a doutrina de Jesus é só uma. Os seus enviados têm obrigação de a transmitir fielmente. E devemos acautelar-nos com os que venham anunciar outro Evangelho diferente.

 

Gálatas 1, 1-2.6-10

1Paulo, apóstolo, não da parte dos homens, nem por intermédio de um homem, mas por mandato de Jesus Cristo e de Deus Pai que O ressuscitou dos mortos, 2e todos os irmãos que estão comigo, às Igrejas da Galácia: 6Surpreende-me que tão depressa tenhais abandonado Aquele que vos chamou pela graça de Cristo, para passar a outro evangelho. 7Não que haja outro evangelho; mas há pessoas que vos perturbam e pretendem mudar o Evangelho de Cristo. 8Mas se alguém – ainda que fosse eu próprio – ou um Anjo do Céu vos anunciar um evangelho diferente daquele que nós vos anunciamos, seja anátema. 9Como já vo-lo dissemos, volto a dizê-lo: Se alguém vos anunciar um evangelho diferente daquele que recebestes, seja anátema. 10Estarei eu agora a captar o favor dos homens ou o de Deus? Acaso procuro agradar aos homens? Se eu ainda pretendesse agradar aos homens, não seria servo de Cristo.

 

2 Às Igrejas da Galácia. Mais provavelmente não se trata das comunidades formadas na primeira viagem (Act 13-14), mas da Galácia do Norte (Ancira…) a que se refere Act 16,6 e 18,23.

6-10 S. Paulo começa por mostrar o seu espanto e profunda indignação por os Gálatas se terem deixado passar para um Evangelho diferente, quando só há um Evangelho, e nem sequer um Anjo do Céu podia vir ensinar outro. De facto, após a preparação de Paulo, tinham chegado ali alguns cristãos judaizantes que perturbavam os convertidos do paganismo, dizendo-lhes que precisavam de se sujeitar às práticas judaicas para se salvarem, acusando Paulo de não pregar a circuncisão para agradar aos ouvintes. Mas, neste caso, já não seria servo de Cristo, coisa que ninguém se atrevia a pôr em dúvida, em face da sua vida heroicamente exemplar.

Esta passagem e toda a carta deixa ver como a vida das primeiras comunidades cristãs não estava entregue ao fervor popular ou à liderança de uns tantos carismáticos, mas estava confiada à vigilância dos Apóstolos que zelavam a pureza da fé nas comunidades que lhes estavam ligadas pela pregação ali exercida pessoalmente ou por enviados seus

 

 

Aclamação ao Evangelho        Jo 3, 16

 

Monição: Jesus fica admirado com a fé daquele centurião que lhe pede a cura do seu criado. Aprendamos com ele a fé e a humildade para acolher a Jesus que nos vai falar.

 

ALELUIA

 

Deus amou tanto o mundo que lhe deu o seu Filho unigénito;

 

 

Evangelho

 

São Lucas 7, 1-10

Naquele tempo, quando Jesus acabou de falar ao povo, entrou em Cafarnaum. 2Um centurião tinha um servo a quem estimava muito e que estava doente, quase a morrer. 3Tendo ouvido falar de Jesus, enviou-Lhe alguns anciãos dos judeus para Lhe pedir que fosse salvar aquele servo. Quando chegaram à presença de Jesus, os anciãos suplicaram-Lhe insistentemente: 5«Ele é digno de que lho concedas, pois estima a nossa gente e foi ele que nos construiu a sinagoga».6Jesus acompanhou-os. Já não estava longe da casa, quando o centurião Lhe mandou dizer por uns amigos: «Não Te incomodes, Senhor, pois não mereço que entres em minha casa, 7nem me julguei digno de ir ter contigo. Mas diz uma palavra e o meu servo será curado. 8Porque também eu, que sou um subalterno, tenho soldados sob as minhas ordens. Digo a um ‘Vai’ e ele vai, e a outro ‘Vem’ e ele vem, e ao meu servo ‘Faz isto’ e ele faz». 9Ao ouvir estas palavras, Jesus sentiu admiração por ele e, voltando-se para a multidão que O seguia, exclamou: «Digo-vos que nem mesmo em Israel encontrei tão grande fé». 10Ao regressarem a casa, os enviados encontraram o servo de perfeita saúde.

 

3-6 «Mandou-lhe alguns anciãos… uns amigos.» Em Mt 8,5.8, é, pelas duas vezes, o próprio centurião romano (oficial que comandava cem soldados, pertencentes às tropas de ocupação da Palestina) quem se dirige directamente a Jesus. Este facto não supõe uma contradição, mas corresponde à típica concisão de estilo de Mt que aqui não desce ao pormenor dos intermediários que falaram em nome do centurião.

6-8 «Eu não sou digno…» Fé humilde e assombrosa que provoca admiração no próprio Cristo! A humildade torna o centurião delicado, pois diz ao Senhor que não entre em sua casa não só para se não maçar, mas também para não entrar em casa dum pagão (o que acarretava impureza legal para um judeu). A fé leva-o a considerar Jesus como quem tem poder sobre as doenças e por isso bastará uma sua palavra de ordem para que seja obedecido tão prontamente pela doença como ele é obedecido pelos soldados que estão às suas ordens! A Igreja quer provocar em nós semelhantes sentimentos de fé, humildade e delicadeza ao aproximarmo-nos de Cristo para comungar

 

Sugestões para a homilia

 

Não sou digno

Diz uma só palavra

Não encontrei tão grande fé

 

Não sou digno

Antes da comunhão, costumamos rezar o Senhor, eu não sou digno, a oração do centurião de Cafarnaúm, que ouvimos no evangelho de hoje. É um exemplo de fé e de humildade para nós, que a Igreja nos convida a imitar.

Apesar de ser um centurião com uma situação social importante não se julga digno que Jesus vá a sua casa. Nem sequer de ir apresentar-se diante do Senhor. Envia os seus amigos a pedir em seu nome.

Quando vamos a comungar havemos de tomar consciência da nossa pequenez e da nossa miséria. Jesus na hóstia consagrada, embora escondido, é o Senhor do Céu e da terra. Ninguém é digno de recebê-lo.

Isso há-de levar-nos a preparar o melhor possível a nossa alma, lavando-a com frequência dos nossos pecados.

Hoje muitos cristãos andam a comungar meses e meses sem se confessar. Alguns vão comungar em pecado mortal. Até parece que não têm fé de que Jesus está ali na hóstia consagrada. Ao celebrar a Festa do Corpo de Deus a Igreja convida-nos a avivar a nossa fé na presença de Jesus na Eucaristia e a prestar-Lhe as nossas homenagens. Ele é verdadeiro homem e está vivo na Eucaristia no Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade, tão perfeito e realmente como está no Céu. Chamamos-lhe festa do Corpo de Deus, não porque Deus tenha corpo como nós, mas porque Jesus é uma Pessoa Divina. É o Filho de Deus que se fez homem sem deixar de ser Deus. Tem todo o poder e, por isso, pode mudar o pão no Seu Corpo e o vinho no Seu Sangue.

Jesus anunciou a Eucaristia precisamente na sinagoga de Cafarnaúm, como nos conta o apóstolo S.João. E diz o Evangelho que este centurião a tinha mandado construir. É significativa pois a ligação do sermão da Eucaristia com a fé deste estrangeiro.

 

Diz uma só palavra

O centurião tinha uma fé muito grande em Jesus. Sabia que tinha todo o poder. Bastava-lhe dizer uma só palavra para que o criado fosse curado. E por isso não se julgava digno que Jesus fosse a sua casa..

Neste ano da fé aprendamos com este homem a manifestar a nossa fé. Peçamos a Jesus que no-la aumente sempre mais, sobretudo na Sua presença na Eucaristia.

Estejamos atentos ao que nos ensina através da Sua Igreja. O Evangelho de Jesus foi confiado aos Apóstolos e seus sucessores, para o transmitirem fielmente por toda a parte.

Na 2ª leitura S.Paulo repreende os cristãos da Galácia por se deixarem arrastar por alguns que vinham pregar-lhes uma doutrina diferente. «Não que haja outro Evangelho. O que há são pessoas que vos querem perturbar e pretendem transtornar o Evangelho de Cristo. Mas se alguém – nós próprios ou um Anjo Céu – vos vier anunciar um evangelho diferente daquele nós vos anunciámos, venha sobre ele a maldição.» São palavras muito fortes e um aviso para todos os cristãos, prevenindo-os contra os que espalham doutrinas erradas contrarias à fé recebida.

Manifestemos a nossa fé com obras: comungando com humildade e devoção, fazendo bem a genuflexão ao passar diante do sacrário ou antes de comungar, visitando muitas vezes a Jesus.

Um dia um sacerdote recebeu a visita do seu bispo. Estava com as crianças que se preparavam para a primeira comunhão. Disse-lhe: –Tenho aqui uma miúda que tem um certo atraso mental. Gostava que a examinasse a ver se devo admiti-la a comungar.

Estavam na igreja junto ao altar e o prelado perguntou à criança: –onde está Jesus?

Apontando para o altar, para a cruz, respondeu: –Ali parece que está mas não está.

Apontando para o sacrário: –Ali não parece que está mas está.

O senhor disse ao pároco: –deixe-a comungar que sabe muito.

 

Não encontrei tão grande fé

Todos os homens são chamados à fé. Na 1ª leitura Salomão pede a Deus para escutar os estrangeiros que venham rezar no templo que construíra em Jerusalém. É uma proclamação, já no Antigo Testamento, da universalidade do Evangelho. O Messias viria para salvar todos os homens e fazer de todos um só Povo de Deus. Para muitos judeus do tempo de Jesus foi difícil aceitar esta visão universalista.

Todos temos de espalhar a fé à nossa volta e por todo o mundo, como nos convida o salmo responsorial e como Jesus mandou aos Apóstolos.

No Evangelho aparecem casos de estrangeiros que merecem os elogios de Jesus pela sua fé. É este centurião. É a mulher siro-fenícia, que pedia a Jesus que libertasse a sua filha do demónio.

É bonito ver como hoje tantos adultos se baptizam, sobretudo na Vigília Pascal: muitos milhares cada ano. Em 2012 alguém calculava em 3 milhões o número de convertidos. Isso há-de animar-nos a ser mais audazes em dar testemunho da nossa fé, em primeiro lugar com o nosso exemplo e depois também com a nossa palavra, apoiados na força de Jesus, que continua a atrair para Ele os corações dos homens.

Há muitos homens ansiosos por conhecer a Jesus. Peçamos ao Senhor presente em nossos sacrários, pela intercessão de Maria, que sejamos mais fervorosos e mais valentes par manifestar a nossa fé.

 

 

Oração Universal

 

Jesus fala-nos e reza connosco em cada missa. Na oração universal apresentamos com Ele ao Pai as necessidades de todos os homens. Vamos fazê-lo cheios de fé e confiança, dizendo:

Senhor, aumentai a nossa fé

 

1-Pela Santa Igreja Católica, para que todos vejam nela a Cristo presente entre os homens, que nos convida a conhecer e amar a Deus, oremos ao Senhor

Senhor, aumentai a nossa fé

 

2-Pelo Santo Padre, para que seja instrumento dócil do Espírito Santo na condução do Rebanho de Cristo e todos vejam nele a Jesus, oremos ao Senhor.

Senhor, aumentai a nossa fé

 

3-Pelos bispos e sacerdotes, para que se gastem generosamente ao serviço das almas e todos saibam acolhê-los com fé e visão sobrenatural, oremos ao Senhor.

Senhor, aumentai a nossa fé

 

4-Por todos os cristãos, para que vivam melhor a Eucaristia de cada domingo, e nela se encham da força e da alegria de Cristo, que nos convida à santidade, oremos ao Senhor.

Senhor, aumentai a nossa fé

 

5-Para que aumentem em toda a Igreja a devoção ao sacramento da confissão, que nos purifica e nos renova, preparando-nos para receber mais dignamente a Jesus, oremos ao Senhor.

Senhor, aumentai a nossa fé

 

6-Pelos jovens de todo o mundo e sobretudo da nossa comunidade paroquial para que, seguindo a Jesus, se deixem guiar pelo Seu Espírito para renovarem o mundo, oremos ao Senhor.

Senhor, aumentai a nossa fé

 

7-Para que todos os cristãos procurem crescer na fé e testemunhá-la com valentia na sua vida , oremos ao Senhor.

Senhor, aumentai a nossa fé

 

Senhor, que nos encheis da Vossa graça em Cristo, presente na Eucaristia, fazei-nos viver da vida nova em Cristo, na fé, na esperança, e na caridade.

Pelo mesmo N.S.J.C.Vosso Filho que conVosco vive e reina na unidade do Espírito Santo.

 

 

LITURGIA EUCARÍSTICA

 

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS: Confiando na vossa bondade, Senhor, trazemos ao altar os nossos dons, para que estes mistérios que celebramos nos purifiquem de todo o pecado. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

SANTO

 

Monição da Comunhão

 

Jesus veio até nós na consagração. Vamos agora acolhê-Lo em nosso coração com a fé e a humildade do centurião do Evangelho.

 

Sl 16 (17)

ANTÍFONA DA COMUNHÃO: Dai ouvidos, Senhor, às minhas palavras; eu Vos invoco, porque Vós me respondeis.

ou:

Mc 11,23-24

Na verdade vos digo: tudo quanto pedirdes na oração, crede que o recebereis, e assim se fará, diz o Senhor.

 

 

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO: Governai, Senhor, com o Vosso espírito aqueles que alimentastes com o Corpo e Sangue de Vosso Filho; confessando-Vos não só com palavras, mas em obras e verdade, mereçamos entrar no Reino dos Céus. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

RITOS FINAIS

 

Monição final

 

Queremos guardar a Palavra de Jesus, vivê-la pela fé e testemunhá-la com a nossa vida e a nossa palavra, junto de todo os que nos rodeiam.