CELEBRANDO A MISERICÓRDIA DO SENHOR

 ESQUEMA PARA VIVÊNCIA PESSOAL DE UMA CELEBRAÇÃO PENITENCIAL

Ao chegar na Igreja, procure um local próximo do Santíssimo Sacramento e inicie sua oração pessoal. Após algum tempo, reze a seguinte oração:

Colocai, Senhor, o vosso Espírito no meio de nós, para que, lavando-nos nas águas da penitência, nos transforme para vós em sacrifício vivo. Vivendo pelo mesmo Espírito, possamos vos louvar por toda a parte e proclamar a vossa misericórdia. Por Cristo, nosso Senhor.

Amém.

Ainda aqui, diante do Senhor, leia o Santo Evangelho, segundo S. Mateus (5, 20-48)

Digo-vos, pois, se vossa justiça não for maior que a dos escribas e fariseus, não entrareis no Reino dos céus. Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás, mas quem matar será castigado pelo juízo do tribunal. Mas eu vos digo: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: Raca, será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: Louco, será condenado ao fogo da geena. Se estás, portanto, para fazer a tua oferta diante do altar e te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; só então vem fazer a tua oferta. Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás em caminho com ele, para que não suceda que te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao seu ministro e sejas posto em prisão. Em verdade te digo: dali não sairás antes de teres pago o último centavo. Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração. Se teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo todo seja lançado na geena. E se tua mão direita é para ti causa de queda, corta-a e lança-a longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo inteiro seja atirado na geena. Foi também dito: Todo aquele que rejeitar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. Eu, porém, vos digo: todo aquele que rejeita sua mulher, a faz tornar-se adúltera, a não ser que se trate de matrimônio falso; e todo aquele que desposa uma mulher rejeitada comete um adultério. Ouvistes ainda o que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás para com o Senhor os teus juramentos. Eu, porém, vos digo: não jureis de modo algum, nem pelo céu, porque é o trono de Deus; nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei. Nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes fazer um cabelo tornar-se branco ou negro. Dizei somente: Sim, se é sim; não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno. Tendes ouvido o que foi dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao mau. Se alguém te ferir a face direita, oferece-lhe também a outra. Se alguém te citar em justiça para tirar-te a túnica, cede-lhe também a capa. Se alguém vem obrigar-te a andar mil passos com ele, anda dois mil. Dá a quem te pede e não te desvies daquele que te quer pedir emprestado. Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos [maltratam e] perseguem. Deste modo sereis os filhos de vosso Pai do céu, pois ele faz nascer o sol tanto sobre os maus como sobre os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos. Se amais somente os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem assim os próprios publicanos? Se saudais apenas vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem isto também os pagãos? Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito.

Fique uns minutos em oração silenciosa, repassando a Palavra que acabou de ouvir.

Agora, se desejar, se dirija para algum sacerdote. Talvez tenha uma fila, permaneça em oração, não converse! Enquanto espera, que tal repassar um breve Exame de Consciência:

Em relação à minha ultima confissão: Quando foi? Confessei tudo o que devia ou escondi algum pecado? Cumpri a penitência?

Em relação a Deus e à Igreja: Amo a Deus de todo coração? Rezo todos os dias? Fui a outras religiões? Acreditei em outras religiões? Procuro sempre honrar a Deus com palavras e ações? Faltei com o respeito para com Deus, Nossa Senhora e os Santos. Participo com atenção da Santa Missa todos os domingos? Rezo pelo Papa, Bispos, Padres e Diáconos? Ajudo minha comunidade?

Em relação ao próximo: Amo com atitudes e palavras os meus pais, o meu cônjuge e meus filhos? Falo de Deus para eles? Procuro rezar em família? Rezo por eles? No meu trabalho sou um sinal do amor de Deus? Procurei amar a todas as pessoas ou guardei raiva ou outros sentimentos ruins em relação a alguém? Desejei a morte de alguém? Fiz ou fui favorável ao aborto? Falei mal de alguém? Respeito o corpo dos outros como morada de Deus ou alimentei sentimentos ou atitudes imodestas? Provoquei sentimentos ruins em alguém? Respeito as coisas dos outros e os bens públicos? Zelo pela natureza?

Em relação a mim mesmo: Lutei pela minha própria santificação? Deixei-me levar por sentimentos de orgulho, vaidade, sensualidade? Reconheço meu corpo como morada de Deus, ou entreguei-me a prazeres errados? Se sou casado, procuro viver o matrimônio como Deus deseja, e não nos moldes do mundo? Cuido da minha saúde? Esforcei-me por arrancar o meu defeito dominante? Recorri a Deus para que aumente em mim todas as virtudes e, especialmente, a fé, a esperança e a caridade?

Ao chegar diante do Sacerdote, lembre que ele está ali como representante de Jesus e da Igreja, e diga com humildade, clareza e brevidade todos os seus pecados. Talvez ele precise perguntar algo, para poder aconselhar melhor, responda com simplicidade e paz.

Escute com muita atenção os conselhos do Sacerdote e não esqueça a penitência que ele vai impor a você.

O Sacerdote vai convidar você a rezar o Ato de Contrição, você pode, dentre muitos, rezar esse:

Meu Deus, porque sois tão bom, tenho muita pena de vos ter ofendido. Ajudai-me a não tornar a pecar.

Após a sua confissão, com o coração cheio de paz, volte para junto de Jesus Eucaristia e, se for o caso, procure cumprir logo a penitência. Após a Penitência, se desejar, reze o Salmo 31:

=Feliz o homem que foi perdoado * e cuja falta já foi encoberta!
=2 Feliz o homem a quem o Senhor não olha mais como sendo culpado, * e em cuja alma não há falsidade!
=3 Enquanto eu silenciei meu pecado,  dentro de mim definhavam meus ossos * e eu gemia por dias inteiros,
4 porque sentia pesar sobre mim * a vossa mão, ó Senhor, noite e dia; e minhas forças estavam fugindo, * tal como a seiva da planta no estio.
5 Eu confessei, afinal, meu pecado, * e minha falta vos fiz conhecer.
– Disse: ‘Eu irei confessar meu pecado!’ * E perdoastes, Senhor, minha falta.
6 Todo fiel pode, assim, invocar-vos, * durante o tempo da angústia e aflição,
– porque, ainda que irrompam as águas, * não poderão atingi-lo jamais.
7 Sois para mim proteção e refúgio; * na minha angústia me haveis de salvar,– e envolvereis a minha alma no gozo * da salvação que me vem só de vós.
=8 ‘Vou instruir-te e te dar um conselho;  vou te dar um conselho a seguir, * e sobre ti pousarei os meus olhos:
=9 Não queiras ser semelhante ao cavalo,  ou ao jumento, animais sem razão; * eles precisam de freio e cabresto
– para domar e amansar seus impulsos, * pois de outro modo não chegam a ti’.
=10 Muito sofrer é a parte dos ímpios;  mas quem confia em Deus, o Senhor, * é envolvido por graça e perdão. –
=11 Regozijai-vos, ó justos, em Deus, e no Senhor exultai de alegria! * Corações retos, cantai jubilosos!– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Pode concluir com a oração do Senhor:

Pai nosso…

Pai santo, que nos transformastes à imagem de vosso Filho, concedei-nos alcançar vossa misericórdia e ser no mundo um sinal de vosso amor. Por Cristo, nosso Senhor.

Amém.

“Queridos amigos, celebrar o Sacramento da Reconciliação significa ser envolvido em um abraço caloroso: é o abraço da infinita misericórdia do Pai. Recordemos aquela bela, bela parábola do filho que foi embora de sua casa com o seu dinheiro da herança; gastou todo o dinheiro e depois quando não tinha mais nada decidiu voltar pra casa, não como filho, mas como servo. Tanta culpa tinha em seu coração e tanta vergonha. A surpresa foi que quando começou a falar, a pedir perdão, o pai não o deixou falar, abraçou-o, beijou-o e fez festa. Mas eu vos digo: toda vez que nós nos confessamos, Deus nos abraça, Deus faz festa! Vamos adiante neste caminho. Que Deus vos abençoe!” (Papa Francisco, 19/02/2014)